sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Haiti, primeiros dias.


Saindo do avião bati de frente com uma barreira de ar quente, muito calor. No caos do aeroporto consegui pegar minha bagagem sem problemas. Muito abençoado por Deus por estar com Ruben, missionário da M.A.I.S. que já conhecia o local e fala francês, saímos e fui resgatado pelo pastor Vijonet, que está me hospedando.

Em duas semanas no Haiti já tenho muita história para contar, então vamos lá.

Vijonet é pastor da Igreja Bonne Nuevelle (Boas Novas), secretário geral de uma universidade cristã e, aqui no Haiti, está à frente da preparação para o treinamento que será ministrado pela Jocum em parceria com a MAIS. Estou ajudando o Pastor a resolver as questões estruturais para a escola, como a preparação da igreja, que receberá o curso e hospedará os alunos. Ajudei o pessoal a remover o que ainda resta dos escombros e agora estamos preparando o local e a montagem de mais uma tenda.


A primeira semana foi um pouco cruel comigo. Muitos falam inglês e alguns português, porém, entre eles apenas o criolo. Isso, em algumas horas, trazia uma sensação de solidão e impotência num local desconhecido, porém, o interesse deles e o amor pelo povo brasileiro me confortava.

Todo mundo é muito simpático. A fé deles impressiona qualquer crente brasileiro. Apenas com a voz eles adoram a Deus calorosamente em reuniões diárias de oração, das 5h30 as 6h30 da manhã. Há muitas músicas em criolo e francês que também temos versões em português e inglês, glória a Deus pelos grandes grupos de louvor.

As segundas, terças e quintas-feiras eu ensino português para uma turma da igreja. É muito divertido e impressionante como eles aprendem rápido. Essa atividade, assim como o trabalho na construção e as reuniões na igreja, tem sido muito bom para o desenvolvimento de relacionamento com o pessoal da igreja.

Sábado, dia 11, chegou uma equipe de 24 brasileiros aqui na casa do pastor. Fiquei sabendo que hospedaríamos eles poucas horas antes de chegarem. A casa ficou um caos, mas muito divertida. Como já sou de casa estou ajudando na hospitalidade e na resolução de questões locais e também com a tradução do português para o inglês. Estes dias tem sido bastante corridos, e dou graças a Deus, tem sido um bom tempo.

A comunicação até agora estava um pouco difícil, pois estávamos sem energia elétrica em casa e na igreja, porém agora o Pastor conseguiu um gerador e creio que conseguirei me comunicar melhor via internet.

Um Grande abraço.

Deus nos abençoe.

2 comentários:

Maarten&Michele Atsma da Silva disse...

Gostei! Muito bom de ouvit algo a mais de vc. A gente está orando por vc e o trabalho que preciso ser feito. Mais ainda agora com Johan internado. J&J estão enfrentando muitas dificuldades (creio que satanás está lançando tudo isso, ele não quer ver um Haiti melhor). Se satanás está contra a gente, significa que o trabalho faz sentido!
Deus te abençoe! Um grande abraço,

Maarten

Lêda disse...

Voce é um cara corajoso cheio de Deus, te admiro querido...Deus tem coisas incrives pra voce, um abraço.